O projeto FUN@SCIENCE pretende desenvolver e testar um modelo para a educação das ciências, operando em todos os níveis de escolaridade, baseado na valorização das tecnologias e experiências de impressão 3D. A implementação deste modelo criará experiências de aprendizagem apoiadas por atividades de impressão 3D em escolas, podendo melhorar o interesse dos alunos nas carreiras científicas e no desenvolvimento das competências lógicas e matemáticas, complementando assim com outras atividades de sala de aula, ou obtendo resultados positivos onde a sala de aula possa ter falhado.

Hoje em dia a impressão 3D está a ser utilizada em inúmeras escolas para criar lições interativas, mecânicas e técnicas. Isto inspira as mentes jovens, guiando-as para carreiras STEM (Science, Technology, Engineering and Maths- Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), o que torna a aprendizagem mais divertida, ao mesmo tempo que lhes permite desenvolver competências de cidadania global.

As atividades do projeto serão desenvolvidas com referência a todos os níveis de ensino, e terão como produto final a criação de uma proposta para a construção de um modelo global de educação que incorpore educação informal baseada em atividades de impressão 3D nos currículos escolares, permitindo a sua acreditação e avaliação dos conteúdos educativos de referência.

As atividades do projeto serão desenvolvidas do seguinte modo:

  1. Recolha e análise de boas práticas em pelo menos 5 Estados Membros Europeus sobre o ensino da ciência nas atividades curriculares, tendo como referência atividades de impressão em 3D, de modo a monitorizar os efeitos do ensino informal das ciências relacionado com a impressão 3D no interesse dos alunos em carreiras científicas e no desenvolvimento das aptidões lógicas e matemáticas.
  2. Elaboração de uma proposta para a construção de um modelo global de educação que possa incorporar atividades de educação informal de impressão 3D nos currículos escolares, em todos os níveis de escolaridade, permitindo desse modo a sua acreditação e a avaliação dos conteúdos referenciais de educação.
  3. Planeamento e implementação de experiências de aprendizagem equiparadas para professores e formadores, de modo a partilhar e adquirir as competências para planificar, implementar e validar o modelo nos respetivos contextos escolares.
  4. Ensaio do modelo em todos os níveis de ensino, em pelo menos 4 turmas em cada país participante, de acordo com uma moldura comum baseada num projeto educativo bem definido.
  5. Recolha de recursos educativos disponíveis e apresentação dos resultados das práticas educativas aplicadas implementadas no projeto, de modo a multiplicar os efeitos e os resultados do projeto.

A ação deste projeto será levada a cabo a nível europeu em 5 países (Portugal, Itália, Polónia, República Checa e Grécia).